Sessão do Mês

Home/Sessão do Mês

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica Estável

Introdução ao Caso

Homem de 58 anos, agricultor, com história de dispneia progressiva nos últimos 4 anos, desconforto para andar no plano, mesmo devagar. Relato de tosse, principalmente pela manhã, chieira no peito intermitente e expectoração clara. Tabagista 100 maços/ano. No último ano foi atendido por três vezes em serviços de Pronto Atendimento, e recebeu nas três oportunidades, prescrições com antibióticos. Nega hemoptise, cianose ou dor torácica.  Exame clínico: frequência respiratória de 16 irpmin, tempo expiratório prolongado, saturação periférica de oxigênio 93%, tórax com aumento do diâmetro ântero-posterior, sons respiratório reduzidos com raros sibilos expiratórios. A espirometria realizada na semana anterior mostrou o VEF1 28%.

   

1) De acordo com classificação GOLD este paciente está na classe:

DPOC GOLD A

DPOC GOLD B

DPOC GOLD C

DPOC GOLD D

2) A abordagem terapêutica deste paciente deve incluir os seguintes procedimentos, EXCETO:

Reabilitação pulmonar

Intervenção clinica e farmacológica para interrupção do tabagismo

Vacinação contra influenza

Oxigenioterapia

3) O tratamento farmacológico mais indicado para este paciente é:

Broncodilatador de curta duração (SABA)

Broncodilatador de longa ação (LABA)

Anticolinérgico de longa ação (LAMA)

Corticoide inalatório (CI) + broncodilatador de longa ação (LABA) ou LAMA

Uma ou mais questões não foram respondidas. Para dar continuidade responda todas as questões.

Discussão do Caso

A classificação e o tratamento atual da DPOC estão baseados em riscos (espirometria e história de exacerbações) e sintomas (dispneia e qualidade vida). Três fatores devem ser levados em consideração para a orientação do tratamento da DPOC: função pulmonar caracterizada pelo volume expiratório forçado do primeiro segundo (VEF1) pós-broncodilatador, história de exacerbações no ano anterior e sintomas, avaliados pelo grau de dispneia, medido pelo mMRC (Medical Research Concil) modificado  ou qualidade de vida, medida pelo questionário CAT (COPD Assessment Treatment).

O tratamento deve ter como objetivo reduzir os sintomas e os riscos futuros. Na redução dos sintomas estão incluídos a melhora da dispneia, da capacidade de exercício e da qualidade de vida. Em relação aos riscos futuros, os objetivos são reduzir a progressão da enfermidade, prevenir e tratar exacerbações e reduzir a mortalidade. O quadro a seguir resume a classificação da DPOC.

1 quadro classificação DPOC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O paciente em questão possui o VEF1= 1,05 L(31%)=GOLD 4, apresentou duas exacerbações no último ano e possui grau de dispneia pelo mMRC= 2.  Portanto,   deve ser clasificado como GOLD D.

A partir da classificação, o tratamento indicado será baseado na utilização de corticosteroide inalatório associado a broncodilatador de longa ação ou anticolinérgico de longa ação. Ver quadro abaixo:

quadro 2 atualizado 29.05.14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SAMA: short acting anticholinergic (anticolinérgico de curta ação), SABA: short-acting beta agonist (beta-2 agonista de curta ação), LABA: long-acting beta agonist (beta-2 agonista de longa ação) LAMA: long-acting anticholinergic (anticolinérgico de longa ação), ICS: inaled corticosteroid (corticosteroide inalatório) , PDE4-inib: inibidor de fosfodiesterase 4.

A oxigenioterapia é recomendada na presença de saturação de oxigênio inferior a 88%.

Há, atualmente, um protocolo disponível para tratamento do paciente portador de DPOC em qualquer estágio na Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais que contempla a prescrição de ipatrópio, formoterol, formoterol associado a budesonida, fluticasona associada a salmeterol e tiotrópio (disponível em www.smpct.org.br).

A Unimed-BH criou um espaço exclusivo nos Centros de Promoção a Saúde (CPS) para receber os pacientes encaminhados ao “Programa de Cessação do Tabagismo”. Neste espaço os pacientes recebem aconselhamento por uma equipe multidisciplinar com o objetivo de aumentar a chance de sucesso na interrupção do tabaco. Para participar do programa basta o paciente ligar 4020-4020,  selecionar a opção 3 e se inscrever.